Hora do nascimento Passo Fundo - RS

Parto de Angelina

"Quando engravidei não me senti plena. Estava desconfiada desse novo mundo que se apresentava pra mim. Perguntavam se eu me sentia poderosa com o meu barrigão. Eu não me sentia. Com o tempo aprendi que cada mulher tem a sua experiência, mas parece que algumas coisas são universais...Como a sensação de plenitude, que surge do nada ao olhar para o espelho, ou um tempo depois ao rever as fotos da barriga. Acho que a sensação de estranhamento de si mesma também acontece com todas. Não há só flores na gravidez e na maternidade em si. Há pedra no caminho. Dúvida. Culpa. Há dor. Física e emocional. Cansaço. Há muita mudança. Mas há tanta beleza e perfeição, que não se pode negar. Com o tempo me senti linda. Já não me incomodava que passassem a mão na minha barriga como se ela fosse pública. Depois que decidi que minha filha viria ao mundo naturalmente me cerquei ainda mais de mulheres maravilhosas. Uma rede de apoio poderosa! Doula. Obstetra. Pediatra. Fisioterapeuta pélvica. Prô de pilates. Analista. Maquiadora. Fotógrafas, uma delas minha amiga que também espera um bebê. Mulheres maravilhosas e sensíveis. E tantas! Minha cunhada. Minhas amigas e primas. Minha sogra. Minha mãe! E os homens da minha vida. A bolsa rompeu de noite e antes da data provável. Eu não me desesperei, porque estava preparada e amparada. Segui o tempo todo o que o meu corpo pedia, como a minha doula ensinou. Rebolei. Agachei. Subi e desci escada. Descansei. Cantei. Chorei. Fiquei de quatro. Sentei. Levantei. Tomei banho quente. Rezei. E gritei. Gritei muito. As “minhas mulheres” me cuidaram e me deram suporte. Acreditaram na minha força. Não houve qualquer intervenção. Nenhuma injeção. Nenhum corte. E quando a minha filha nasceu senti finalmente uma incrível sensação de poder. E uma liberdade sem igual. Uma alegria sem explicação quando ela me olhou nos olhos pela primeira vez. E uma satisfação que transbordava do peito por saber que ela estava sendo bem recebida por todos desde os seus primeiros momentos nesse mundo. Tratada com humanidade. Com amor. Como o lindo e único ser que é. Continuo inundada por uma gangorra de sentimentos. Tudo valeu a pena. Tudo por você, meu grande amor." (Gabriela Ferraz Zanella)


Achei que depois desse depoimento não teria palavras para descrever melhor o parto da Angelina... 

Gabi foi intenso, lindo e apaixonante teu parto!

Nunca vou esquecer aquele teu olhar de felicidade plena e gratidão que refletia no que eu também estava sentindo naquele momento!

Mariano foi teu primeiro parto como tu mesmo dizia, mas tu fostes perfeito, baita marido e papai!

Angelina sejas muita luz para teus pais!

Um grande abraço, tia Ari